Quinta, Outubro 23, 2014
Leitura bíblica diária
  • Paulo se defende diante de Félix
    Atos 24.10-16

    O Governador fez sinal para que Paulo falasse. Então ele disse:

    — Eu sei que há muitos anos o senhor é juiz do povo judeu e por isso eu me sinto à vontade para fazer a minha defesa na sua presença. Como o senhor mesmo pode comprovar, faz apenas doze dias que fui a Jerusalém para adorar a Deus. Os judeus não me viram discutindo com ninguém nos pátios do Templo, nem agitando o povo nas suas sinagogas ou em qualquer outro lugar da cidade. E eles não podem provar nenhuma das acusações...

Notícias Pastoral RESTAURAÇÃO DO CASAMENTO - MINISTÉRIO DE CASAIS

RESTAURAÇÃO DO CASAMENTO - MINISTÉRIO DE CASAIS

“Restaura Senhor a nossa sorte como as torrentes no Neguebe...”  Sl 126. 4

  Reverendo Jorge Neves de Oliveira.

                                          

      O casamento estabelece entre esposo e esposa a mais profunda aliança que pode existir entre duas pessoas. Os dois se tornam uma só carne. A partir daí, a união entre eles deveria ser a mais forte, a mais sólida e a mais resistente, capaz de suportar qualquer ataque interno ou externo. Mas infelizmente não é assim. Todo casamento tem as suas crises e está sujeito ao fracasso.  Um casamento pode entrar em crise, pode chegar à beira do abismo, pode até parecer irremediavelmente fracassado, mas também pode ser restaurado.  Para isso, algumas atitudes são imprescindíveis:

A VONTADE DE RESTAURAR – “Quando um não quer dois não brigam”. “Andarão dois juntos se não houver entre eles acordo?” Am 3.3. O ponto de partida para a restauração do casamento é a vontade de restaurá-lo. Quem deseja realmente restaurar o seu casamento e busca ajuda apropriada, ainda que não consiga alcançar o seu objetivo, não perde o tempo, pois ganha amadurecimento emocional, crescimento no caráter e aperfeiçoamento como ser humano.

A CONFISSÃO E O PERDÃO – Quando o casamento fracassa, cada um dos cônjuges tenta jogar a culpa sobre o outro. Mas a verdade é que ambos são responsáveis pelo fracasso. E é necessário que eles reconheçam isso e peçam perdão um ao outro. Para o cristão, perdoar não é uma opção é uma obrigação. “Longe de vós toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda a malícia. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou” (Ef 4.31,32). Os amigos de Jó os acusou mas Jó os perdoou: “Mudou o Senhor a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra” (Jó 42.10).

A REDESCOBERTA DAS VIRTUDES – “Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo” Fp 2.3 – Os conflitos entre marido e esposa fazem afundar as virtudes e aparecerem os defeitos. Isso leva cada um a olhar pro outro e só ver os defeitos. Precisamos ter a humildade para reconhecer que o outro tem virtudes, virtudes estas que nos atraíram para o casamento e que precisam serem resgatadas e valorizadas.

A RECONCILIAÇÃO COM DEUS – A restauração do casamento tem de passar pelo caminho da reconciliação com Deus. As brigas, os desentendimentos, as mágoas e os ressentimentos causados pelos conflitos conjugais levam o casal a se afastar de Deus.  Felizmente o nosso Deus é um Deus perdoador. Davi afundou espiritualmente em suas crises conjugais e existenciais. Adulterou, mentiu, adulou, tramou o mal, matou... Depois se arrependeu conforme relata em alguns salmos, como por exemplo, o Sl 32.1-5. Tentar restaurar um casamento sem restaurar a comunhão com Deus é candidatar-se ao fracasso.

CONCLUSÃO – O casamento pode entrar em crise, mas não precisa desfazer-se por isso. Casamentos danificados podem ser totalmente restaurados. Duas pessoas que iniciaram a mais importante e agradável aventura humana, que é o casamento, não precisam desistir diante dos empecilhos. Basta querer sinceramente e buscar de modo correto a solução.  

Agenda