Segunda, Dezembro 22, 2014
Leitura bíblica diária
  • Nós vamos adorar o SENHOR
    Zacarias 8.20-23
     
    O SENHOR Todo-Poderoso diz:
    — Vai chegar o dia em que moradores de muitas cidades virão até Jerusalém. Os moradores de uma cidade dirão aos de outra cidade: “Nós vamos adorar o SENHOR Todo-Poderoso e pedir que ele nos abençoe!” E os outros responderão: “Pois nós vamos com vocês!” Muitos povos e nações poderosas virão a Jerusalém para adorar o SENHOR Todo-Poderoso e pedirem que ele os abençoe. Naqueles dias, dez estrangeiros irão agarrar um judeu para lhe dizer: “Nós queremos seguir a sua religião, pois ouvimos dizer que Deus está com vocês.”
Notícias Pastoral Princípios para o casamento segundo a Bíblia.

Princípios para o casamento segundo a Bíblia.

 Por Reverendo Jorge Neves de Oliveira.

   

A cada dia que passa, a família tem sido duramente atacada pelo inimigo. Temos verificado um crescimento vertiginoso do divórcio, bem como da banalização do casamento. Modelos alternativos de família estão surgindo por todos os lados, o que nos faz questionar o destino da família se esses modelos se firmarem. Diante destas questões, é preciso reafirmar os princípios de Deus para o casamento:


  Princípio: o casamento segundo a Bíblia é monogâmico e: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gn 2.24). Este princípio foi estabelecido antes do pecado. Podemos observar que existe a clara afirmação de gêneros diferentes = homem e mulher.  As distorções culturais mudaram essa realidade, mas a palavra de Deus continua atual para todos nós. Isso descarta a presença de amantes, de concumbinas, de poligamias e outras propostas estranhas mesmo presentes na vida de pessoas da Bíblia.
2º Princípio: O casamento é para toda a vida: “De modo que já não são dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mt 19.6,7,8). Deus odeia o divórcio (Ml 2.14-16). Quando existe infidelidade conjugal, o perdão deve ser usado, praticado, vivido, experimentado por todos; independentemente de credo, raça e classe social.   Mesmo em uma situação de infidelidade, na qual o perdão não ocorre, nenhuma das partes estão livres para contrair novas núpcias (I Co 7.11). Deus não propôs o casamento para que o divórcio viesse profanar essa aliança. ”Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do seu marido” (I Co 7.10)  
3º Princípio: o casamento Bíblico é no Senhor: “ Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão da luz com as trevas? (II Co 6.14). Dentro da perspectiva da aliança, temos que buscar o nosso cônjuge no meio do povo de Deus e não fora. O que ocorre é que estamos tão distantes da Palavra de Deus que muitas vezes queremos adaptar a Bíblia a nossa cultura e  não o contrário.
É por isso que devemos estarmos conscientes antes de nos casarmos. Uma aliança está sendo estabelecida. Não é um contrato. Jesus mesmo se coloca como o noivo da Igreja. Assim deve ser. Observando a palavra de Deus podemos ver duas situações diferentes quanto ao tópico casamento: Quanto aos viúvos ou viúvas podem contrair novas núpcias se desejarem (I Co 7.8 e 9). E no caso da conversão de um dos cônjuges, se a parte não crente desejar se separar, pode (I Co 7.15). Porém, ambas as partes perante Deus não podem contrair novas núpcias. Por mais duro que sejam esses princípios eles são bíblicos. Que Deus nos ajude a sermos fiéis em todos os aspectos.

Agenda